Tratamentos

Procedimentos Estéticos Genitais

Nos últimos anos vem se notando um grande aumento na procura, pela população masculina, por cirurgias estéticas genitais, tais como aumento e/ou engrossamento peniano, redução da região escrotal, ressecção de cicatrizes genitais, entre outros.

O grande número de propagandas enganosas, mais frequentes em jornais e na web, com promessas de aumentos penianos irreais através de procedimentos sem qualquer comprovação científica, faz com que a prática de procedimentos estéticos genitais ainda seja marginalizada. Porém, existem diversos tratamentos que conferem um aspecto mais agradável ao órgão genital.

Tratamento das pápulas peroláceas da glande

As pápulas peroláceas são pequenas glândulas que ficam localizadas na coroa da glande (ao redor da cabeça do pênis). Essas glândulas costumam ser confundidas com doenças sexualmente transmissíveis causando constrangimento para o indivíduo. O tratamento padrão é realizado com aplicações de laser. O procedimento é bem rápido, feito em consultório e com anestésicos locais.

Pápulas peroláceas da glande

Angioqueratomas escrotais

Os angioqueratomas são tumores vasculares benignos que atingem a região escrotal (aparecem como pontos elevados e pretos). Podem ser únicos ou múltiplos. Seus principais sintomas são os sangramentos repetitivos e as questões estéticas. O tratamento desses angioqueratomas é realizado com aplicações de laser, sendo um procedimento rápido, feito em consultório e com anestésicos locais.

Angioqueratomas escrotais

Postectomia estética

A postectomia é um dos procedimentos cirúrgicos mais realizados na urologia. É indicada para doenças como fimose (incapacidade ou dificuldade em expor a glande), balanopostite de repetição (inflamação da glande e/ou do prepúcio), e até por questões religiosas, mas, atualmente, vem ocorrendo uma maior procura da postectomia por questões estéticas devido à maior exposição da genitália nas relações sexuais.

A cirurgia é relativamente simples e consiste na retirada da pele que recobre a glande (prepúcio). A incisão pode ser feita ao redor da glande ou na base do pênis, junto ao púbis, com o intuído de esconder a cicatriz. O procedimento não requer internação hospitalar e o paciente fica habitualmente 30 dias sem poder retornar às atividades sexuais.

Além desses, há outros tratamentos que contribuem para o aumento peniano e redução da região escrotal. Vale ressaltar que é necessário procurar um profissional com experiência na realização deste tipo de procedimento.

Ilustração mostrando a diferença entre a circuncisão convencional (à esquerda) e a circuncisão estética (à direita)
Ilustração mostrando a diferença entre a circuncisão convencional (à esquerda) e a circuncisão estética (à direita)

Para uma avaliação correta, procure o Dr. Luiz Augusto Westin, médico urologista no Leblon, que tem vasta experiência no assunto e especialização em urologia reconstrutora no Rio de Janeiro.

Agende uma consulta

Leia mais notícias

Comunicado

WhatsApp