Notícias

Fimose: o que é e como tratar?

FIMOSE | DR. LUIZ AUGUSTO WESTIN

Chamamos de fimose o excesso de pele, conhecido também de prepúcio, sobre a glande, dificultando assim sua exposição. É normal a criança nascer com a fimose, mas, quando seu desaparecimento não ocorre é necessário tratamento médico.

Existem dois tipos de fimose: a fisiológica (ou primária) e a patológica (ou secundária). A primeira é considerada normal, desenvolvida nos primeiros 5 anos de vida, e não traz qualquer preocupação. Quando ela não desaparece após esta idade, passa a se tornar um problema. Já a fimose secundária, pode surgir em qualquer etapa da vida, em paciente com o prepúcio previamente sadio. Elas surgem devido à infecções de repetição, traumas repetidos durante as relações sexuais, secundária a balanite xerótica obliterande e até por doenças mais graves como o cancer de pênis

No sexo feminino, a fimose é extremamente rara. Ela acontece quando existe uma aderência entre os pequenos lábios da vagina e, caso não desapareça naturalmente, também é preciso consultar um especialista.

Sintomas da fimose

Incapacidade de expor a glande;
Dor durante as relações sexuais;
Assaduras e cicatrizes nos genitais;
Inchaço no pênis;
Secreção com mau cheiro;
Dificuldade ao urinar.

Tratamento para fimose

A partir de um exame físico é possível identificar a fimose e suas causas. Se confirmada, o urologista, ou o pediatra, estabelecem a melhor estratégia para lidar com ela. Inicialmente, um tratamento tópico com cremes à base de corticoides é indicado para ajudar a fazer a pele deslizar sobre a cabeça do pênis. Se, após o período de tratamento, não houver resultados satisfatórios, ou a fimose for bem severa, o caminho é a cirurgia.

Como funciona a cirurgia de fimose e os cuidados pós-cirúrgicos

A cirurgia, conhecida como circuncisão, é chamada também de postectomia. Nela, o prepúcio é retirado parcialmente.
Atualmente, devido a grande exposição da região genital, existe uma preocupação muito grande por parte dos pais e também dos homens quanto ao aspecto estético do pênis. Por este motivo, diversos refinamentos na técnica têm sido utilizados para que a fimose seja resolvida com o melhor resultado estético possível:
Pontos com fios extremamente finos e com nós internos para evitar cicatrizes indesejadas
Retirada da menor quantidade de prepúcio possível para que a glande não fique totalmente exposta, evitando assim a exposição da cicatriz e problemas relacionados com sensibilidade excessiva.
Postectomia estética, técnica na qual a cicatriz fica localizada na base do pênis, completamente escondida.

A fimose primária deve ser solucionada após os 5 anos de idade. Já a fimose secundária deve ser resolvida cirurgicamente o quanto antes, para evitar complicações futuras como as balanopostites de repetição e até o câncer de pênis, que pode acabar ocorrendo devido a má higiene.

É um procedimento simples, mas é imprescindível o uso de anestesia.

O cuidado especial no pós-cirúrgico é com a higiene local. Por ser uma cirurgia simples, o paciente fica apenas com um curativo na região, que é retirado poucos dias depois, e retorna para casa no mesmo dia do procedimento.

Nos adultos, a sensibilidade gerada na glande desaparece em poucos meses.

Como prevenir a fimose?

A fimose primária não tem prevenção, já que ocorre com todos os meninos. Já na secundária o uso de lubrificantes antes das relações sexuais e uma boa higienização com água e sabão, podem ajudar na prevenção.

O Dr. Luiz Augusto Westin pode te ajudar!

O Dr. Luiz Augusto Westin, urologista especializado em urologia reconstrutora com consultório no Rio de Janeiro, tem vasta experiência no atendimento de casos relacionados à fimose e outros procedimentos. Entre em contato e agende sua consulta!

Leia mais notícias

Comunicado

WhatsApp