doutor grisalho conversando com paciente em consultório | Doenças penianas causadas por fungos

Doenças penianas causadas por fungos

Assim como qualquer outra região do corpo humano, o órgão genital masculino também pode sofrer com inúmeras doenças, contaminações e problemas de saúde em geral. Entre as patologias que podem afetar essa área, uma em especial gera grande incômodo no público do sexo masculino. Estamos falando das enfermidades penianas causadas por fungos.

Mas o que são essas doenças?

Como bem evidenciado pelo nome do problema, esse tipo de doença é causado por um acúmulo excessivo de microrganismos na genitália dos homens. Normalmente, o fungo presente nessa área é a candida albicans, causadora da candidíase.

É importante entender que esse fungo habita, sem grandes problemas, o organismo humano, seja o feminino ou o masculino, mas quando não há uma higienização correta no pênis ou quando o paciente sofre uma baixa considerável da imunidade, esse microrganismo pode acabar se proliferando e causando um grande incômodo.

Quais os sintomas das doenças penianas causadas por fungos?

Esse problema apresenta uma série de sintomas muito clássicos, entre eles, é possível mencionar a coceira excessiva na genitália e uma vermelhidão diferenciada no órgão masculino. Além disso, os homens também podem sentir inchaço da região, sofrer com descamação no pênis, ardência e até grande sensibilidade na área afetada pela doença.

Lembrando que esses são apenas alguns dos principais sintomas sentidos por quem tem candidíase, mas, além desses, o paciente também pode ser afetado por outros sinais desconfortáveis.

Como evitar as doenças penianas causadas por fungos?

Diferentes cuidados devem ser tomados para que o homem não contraia essa doença, entre eles estão a limpeza correta da genitália masculina e uma dieta adequada e que seja capaz de fortalecer seu sistema imunológico, como frutas, legumes e muita água.

Também é importante mencionar que o uso de preservativo durante as relações sexuais pode contribuir para a não contaminação do paciente, além de evitar uma série de outros problemas, como HIV, herpes genital, gonorreia, entre outras doenças.

Mas se a candidíase for contraída, como tratar?

Caso o paciente sofra com esse problema, o mais indicado é procurar um especialista o mais rápido possível para realizar os procedimentos que visam tratar essa doença. Um dos médicos que têm experiência e renome nessa área é o Dr. Luiz Augusto Westin, que trabalha com urologia, trazendo mais saúde e bem-estar para os pacientes.

Ao todo, já são quase 10 anos atuando especificamente com essa especialização. Ao decorrer desse tempo, o médico buscou se aprofundar nessa área e tornar-se referência em seu segmento de atuação.

Além de tratar quem sofre com os fungos no órgão sexual, o profissional ainda oferta outros tratamentos e procedimentos especializados, como soluções para incontinência urinária, cirurgia de redesignação sexual e muito mais.

Os interessados no atendimento com esse especialista podem acessar o site oficial da clínica e fazer um agendamento. Cada paciente é analisado de forma humana, personalizada e exclusiva.

É através da consulta que o médico poderá indicar o tratamento mais recomendado para cada caso clínico, além de também entender qual a necessidade do paciente.

Como é feito o tratamento das doenças penianas causadas por fungos?

O tratamento é feito, basicamente, com remédios antifúngicos. Esses fármacos podem ser ingeridos por via oral, e sua principal função é combater a contaminação presente no pênis.

Caso seja necessário, o médico pode indicar também outras soluções para o paciente. O importante é realizar regularmente um exame de checagem, não deixar de tomar cuidado com possíveis contaminações e, caso sinta que algo está diferente, procurar o especialista imediatamente.

É importante lembrar que o Dr. Luiz Augusto Westin, urologista no Rio de Janeiro, atende seus pacientes em dois endereços: um no Centro e outro no Leblon. Entre em contato e agende uma consulta!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *