Infográfico sobre disfunção erétil | Disfunção erétil: causas, tratamento e curiosidades

Disfunção erétil: causas, tratamento e curiosidades

A grande maioria dos homens sente incômodo só ao tocar no assunto disfunção erétil. O medo de um dia passar por essa situação e a grande possibilidade de realmente acontecer, incomoda e afeta a todos. E, muitas vezes, quando o problema acontece, vem a vergonha e o medo de procurar um especialista para receber auxílio. Com o tempo, os avanços da medicina e as novas possibilidades, esse acanhamento tende a diminuir e o homem provavelmente procure com mais rapidez ajuda de um profissional, pois o autodiagnóstico pode atrapalhar, confundir e estender o problema.

A confusão é comum e causa um receio nos homens. A disfunção erétil, advém da incapacidade em manter a rigidez plena durante o ato sexual. É importante ressaltar que eventuais falhas na ereção são comuns e não caracterizam disfunção erétil.

As causas da disfunção erétil

Alcoolismo, tabagismo, obesidade, uso de drogas, idade… Os fatores podem ser muitos, mas é importante conhecer as causas do problema e ir ao médico para uma análise clínica – o que é fundamental.

Para que o homem chegue à ereção, é necessário que o corpo todo funcione bem. Essa combinação de fatores acaba tornando difícil a descoberta real do problema. Esse quadro pode ser causado por:

  • Problemas psicológicos: gerados por ansiedade, estresse, baixa autoestima, entre outros.
  • Doenças cardiovasculares: a má circulação afeta a irrigação do pênis.
  • Diabetes: a doença causa danos aos nervos do corpo, inclusive do pênis.
  • Medicamentos: o uso de diuréticos pode ser responsável pela disfunção erétil.

Tratamentos para a disfunção erétil

Com o avanço da medicina, os tratamentos ficaram mais simples e indolores. Disfunção erétil deve ser investigada para buscar a melhor forma de tratamento e que atenda adequadamente o paciente. Existem tratamentos à base de remédios prescrevidos pelo especialista, reforçando a máxima de nunca se automedicar, pois um problema simples pode se tornar complicado e ficar mais difícil de ser revertido.

A segunda linha de tratamento são as drogas intra-uretrais (gel injetado na luz da uretra) e as intra-cavernosas (droga injetável aplicada pelo próprio paciente, no interior dos corpos cavernosos).

Aos pacientes que não apresentam melhora com as medicações e àqueles que não desejam a auto aplicação peniana das drogas injetáveis, outra forma de tratamento são as próteses penianas inflável ou semirrígida. As próteses são consideradas o tratamento definitivo da disfunção erétil. A seguir, conheça os dois tipos:

  • Prótese peniana inflável: é composta por dois cilindros infláveis conectados a um reservatório de soro fisiológico, e uma “bomba” que é implantada na região do escroto. O paciente bombeia o soro em direção aos cilindros e assim ocorre a ereção. Após a relação sexual, o dispositivo implantado é apertado e o líquido retorna ao reservatório e o pênis ao estado flácido. Essa forma de tratamento é a mais aceita pelos pacientes, pois a ereção se dá de forma mais natural.
  • Prótese peniana semirrígida: confeccionada em silicone e com uma haste dobrável que permite ao paciente colocar o pênis nas mais diversas posições.

Busque ajuda

Procure um urologista para entender o seu quadro, auxiliá-lo e começar os tratamentos com os devidos cuidados. Preze pela qualidade de vida, não adie sua visita ao médico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *