Médico urologista indicando próstata em miniatura do corpo humano | Entenda tudo sobre a estenose uretral

Saiba tudo sobre a estenose uretral

A estenose uretral é uma doença urológica que acomete homens e mulheres, sendo mais comum no sexo masculino. A enfermidade consiste em um estreitamento na uretra, órgão tubular por meio do qual a urina é encaminhada para fora da bexiga. Como nos homens a uretra é mais longa, chegando a atravessar a próstata, a ocorrência de estenose entre eles é maior.

A uretra pode ser afetada pela estenose de modo a resultar na diminuição ou até mesmo na obstrução total do fluxo urinário, causando uma série de complicações.

O que causa a estenose uretral?

No decorrer da vida, o homem sofre traumas e lesões na uretra que, ao cicatrizarem, podem ocasionar uma deposição excessiva do tecido fibrótico, diminuindo o calibre do canal uretral. Traumas como fraturas na bacia, acidentes que afetam a região do períneo e até mesmo procedimentos médicos que envolvem a uretra podem favorecer o aparecimento da estenose de uretra.

Além de lesões, doenças sexualmente transmissíveis podem ser uma das causas da estenose de uretra, mesmo se tratadas da maneira correta e com eficácia, devido ao processo tardio de cicatrização. Esses casos são mais raros, mas não devem ser desconsiderados.

Sintomas da estenose de uretra

Quando há obstrução e a urina não passa adequadamente pela uretra, surgem as queixa do paciente sobre o jato urinário e a frequência miccional, o que já configura uma manifestação dos sintomas da estenose uretral. Há ainda outros sintomas como:

  • Fluxo reduzido da urina.
  • Jato espraiado ou duplo.
  • Gotejamento de urina após a micção.
  • Aumento da frequência da vontade de urinar.
  • Vontade de urinar durante a noite.
  • Ardência ao urinar.
  • Incontinência urinária.

O diagnóstico da estenose de uretra não é simples, já que os sintomas apresentados se assemelham aos de outras doenças obstrutivas da próstata ou enfermidades que diminuem a força da musculatura da bexiga.

Como é feito o diagnóstico

Para chegar ao diagnóstico, o urologista irá solicitar exames detalhados como a uretrocistografia, exame radiológico em que um contraste é injetado na abertura da uretra na glande com o intuito de encher toda a uretra, próstata e bexiga. Em seguida, solicita-se que o paciente urine, de modo que todo contraste que ficou na bexiga seja eliminado. São obtidas diversas radiografias durante o processo.

Além da uretocistografia, podem ser solicitados exames como a uretrosonografia (ecografia da uretra, exame que melhor avalia a extensão do estreitamento), a urofluxometria (estudo para medir o fluxo urinário) ou ainda a uretrocistoscopia (visualização endoscópica da uretra e da bexiga).

Tratamentos

De uma forma geral, o tratamento da estenose uretral é cirúrgico. Vamos falar detalhadamente sobre os métodos disponíveis:

Dilatação uretral

É um tratamento ambulatorial em que a estenose é dilatada com a aplicação de sondas uretrais plásticas de calibre progressivo. O tratamento é realizado com o objetivo de esticar o tecido fibrótico da estenose, para aumentar e estabilizar o diâmetro interno do canal da uretra. Como a uretra é um órgão tubular e seu tecido tende a se contrair, normalmente são necessárias diversas sessões de dilatação para obter melhores resultados. Este procedimento está em desuso devido aos péssimos resultados a curto e longo prazo.

Uretrotomia

Nesse procedimento, o cistoscópio (um tipo especial de endoscópio) é inserido na uretra até onde se localiza a estenose, e uma pequena lâmina contida no aparelho corta a região de fibrose ao longo do segmento estenótico ─ é, portanto, um tratamento indicado para casos de estenoses curtas. Apesar de os pacientes que realizam a uretrotomia inicialmente observarem melhora nos sintomas, apenas 30% dos homens que se submetem a esse procedimento ficam definitivamente curados, Desta forma, a maioria tende a realizar a uretrotomia de tempos em tempos o que, em médio e longo prazo, acaba agravando mais o problema.

Cirurgia / Uretroplastia

Para a cirurgia, existem várias técnicas diferentes. Se a estenose de uretra for relativamente curta, o trecho pode ser extraído, e os cotos da uretra serão novamente unidos através de pontos de sutura. Caso a estenose seja longa, podem ser utilizados retalhos da pele do pênis ou enxertos da mucosa da boca para substituir a parte doente da uretra. Estes procedimentos são, nos dias atuais, sem dúvida nenhuma os mais indicados para a cura da estenose de uretra, pois trazem os melhores resultados em curto, médio e longo prazo.

Uretrostomia perineal

Esse procedimento é recomendado para pacientes muito idosos ou com muitas doenças associadas, para estenoses uretrais graves ou ainda para quem não deseja realizar cirurgias muito extensas. A uretrostomia desvia a urina para um pequeno orifício localizado abaixo do escroto, e o paciente passa a urinar somente sentado. As funções sexuais não são afetadas, e o procedimento não gera incontinência urinária.

Cuide-se!

O acompanhamento com o médico é importante para a prevenção e tratamento da estenose de uretra. Caso você apresente alguns dos sintomas citados ou já tenha o diagnóstico da doença, procure um profissional qualificado como um urologista reconstrutor para preservar sua saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *